Wednesday, February 28, 2007

Joanina


Erguida sobre o antigo cácere do Paço Real foi construída a esplêndida Bliblioteca Joanina à data de 1728, é mundialmente reconhecida como uma das mais originais e admiráveis bibliotecas barrocas europeias.


Exteriormente, alcançada como um amplo paralelepípedo, acede-se ao interior através de um portal magnífico, um verdadeiro arco de triunfo e exibindo o escudo real.


Interiormente, compõe-se de três salas, cobertas por tectos em perspectiva realizados por António Simões Ribeiro e Vicente Nunes, comunicando entre si por arcos idênticos ao do portal principal e, integralmente revestidas por luxuosas estantes, decoradas com motivos a ouro em fundo verde, vermelho e negro, e dotadas de varandins. O material, predominantemente utilizado no interior da biblioteca é a madeira, inclusive nas paredes.

Na última sala, podemos encontrar um brilhante retracto do monarca, D. João V, obra do pintor Domenico Duprà.

A biblioteca é constituída por três pisos. No piso térreo é possível encontrar 30 mil livros, nos subterrâneos, onde se encontram obras em permanente restauro e outras armazenadas. Os três pisos totalizam 300 mil exemplares.


A pergunta sobressai, como é possível conservar, tantos livros e durante tantos anos?

a) A disposição solar da biblioteca é muito importante.

b) A grossura das suas paredes parece ser relevante.

c) Toda a biblioteca é revestida a madeira.

d) Mesmo assim, com tanto cuidado, existem insectos característicos. Então aquando da construção do portal de entrada "o verdadeiro arco de triunfo", foram deixadas entradas talhadas na frontaria, para que os morcegos, durante a noite pudessem entrar, e desta forma tão natural, controlem a proliferação dos referidos insectos.

Todos os dias, no final de cada dia, as mesas e cadeiras da biblioteca são forradas com plásticos, protectores, contra os prejuízos dos excrementos dos morcegos.

3 comments:

Anonymous said...

Parabéns Crys!
Bjs

CÁ 70 said...

Mais do que escrever o sentido do poema, o desafio é fazer de cada instante de vida o próprio poema.
É o que acontece com este novo espaço que se abre ao mundo.
Bem vinda Cristina. Êxito para a viagem...

J.J.Silva Garcia

SCunha said...

Parabéns minha irmã.
Bjinho
:))