Thursday, March 8, 2007

Projecto Bolina

Uma das funções da atmosfera é proteger a Terra da perigosa radiação ultravioleta, outra é garantir que a temperatura do planeta o torna habitável. Mas a atmosfera, a que habitamos, está diferente por culpa do homem. As actividades do homem interferem num equilíbrio que se sabe frágil.
Será que é possível controlar a nossa interferência?
Será que podemos carregar com as consequências? E contribuir para diminuir as catástrofes naturais ao ponto a que chegaram, a uma "situação insustentável".
Num mundo onde a energia humana é geradora de riqueza, 80% da energia gerada para uso humano provém de combustíveis fósseis.
A história da humanidade diz-nos que não se faz nada sem um motivo, e caso não se matrializem alterações no clima claras e óbvias, o homem, não age, ou melhor...não reage!
É dificil prever quando é que o homem se vai sensibilizar com o problema...
A alteração do clima reveste a nossa vida interferindo de forma indicativa e decisiva.
O que acontecerá a milhões de pessoas que vivem perto do mar?
Terão de fugir para zonas mais elevadas? E aí, haverá espaço para todos? Não é aí hoje, o cantinho das florestas? Então será necessário devastá-las!
Que mundo este, meu Deus!!!
Que inquietação!
Que futuro estamos a construir para deixar aos nossos filhos, e aos nossos netos? Este...
a) O aquecimento global foi o pior dos últimos 400 anos.
b) Estudo detecta modificações genéticas resultantes da alteração do clima.
c) Novas espécies de peixes e algas foram descobertas no mar das Caraíbas.
d) NASA vai estudar furacões no arquipélago de Cabo Verde.
e) Aves migratórias regressam mais cedo à Europa.
f) Como se denominará o próximo furacão?
O efeito de estufa não é a única alteração. Temos de agir, se quisermos que este não seja "o fim do mundo, tal como o conhecemos!".
O PROJECTO BOLINA (P. BOLINA) da autoria dos Vereadores do Partido Socialista da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, vêm despertar uma minoria dormente, e juntar-se a uma maioria que conjuga preocupações com a sociedade e princípios essenciais para a sobrevivência.
O papel do poder local, no P. BOLINA obriga a uma abordagem integrada compatibilizando os objectivos ambientais, sociais, culturais e económicos, devendo ter sempre garantido, que os esforços para melhorar a qualidade de vida local, não coloquem em risco a qualidade de vida das gerações vindouras.
É preciso ter presente que o P. BOLINA colide com os interesses do comum cidadão automobilístico e com o uso e abuso do automóvel "levar o carro até casa, à loja, ao cinema, à escola, à livraria, ao restaurante, à padaria, à lavandaria!". Mas depois, em determinados horários as filas de automóveis adensam-se, o trânsito fica muito congestionado e os condutores perdem facilmente a paciência. Para terminar, uma última pincelada nesta aguarela, a cidade está descosida!
O comportamento do típico cidadão automobilístico irá dilatar a moldar, mas tudo se vai acomodando, desde que as pessoas compreendam as reais vantagens, para cada um individualmente, do BOLINA.
Como seria bom alterar comportamentos por decreto!!!
Ao P. BOLINA urge desenvolvê-lo, fazê-lo sair do papel e vê-lo crescer de forma consistente, tal como está programado. É necessário chegar às pessoas, falar e muito! Dar a conhecer abrir as portas do BOLINA e deixar entrar...Envolver a população neste projecto, fazê-las parte activa do BOLINA. Só assim a palavra começa a rolar, tal como o projecto e o BOLINA!
Algumas cidades do país já aderiram a projectos mais ou menos semelhantes, por experiência, apenas posso pronunciar-me sobre a cidade de Coimbra, com o Pantufinhas (penso que em marcha desde 2003), as pessoas pagam o estacionamento (periférico), que pode ser diário ou mensal e partem de "pantufas" para a cidade, em mini-autocarros eléctricos, com elevada rotação, ou seja, baixo tempo de espera. Também é preciso frisar que Coimbra tem tradição de viajar em transportes públicos. Ainda e só, a título de exemplo, e já lá vão alguns anos, poucos..., quando frequentava o 1º Ano do Ciclo Preparatório, então com 9 anos de idade, tomava três transportes para chegar à escola (dois trolleys e um eléctrico), eu e os meus colegas.
O BOLINA é a solução para vários problemas com que a Póvoa de Varzim e Vila do Conde se debatem:
a) Qualidade do ar.
b) Mobilidade automóvel.
c) Diminuição do ruído.
d) Contribuir para a menor dependência das reservas naturais não renováveis.
e) Diminuição das emissões de gases nocivos.
BOLINA contribui decididamente para que as cidades se tornem limpas, mais saudáveis e mais aprazíveis!
Como vais?
Apanho o BOLINA!
Nota: Este artigo foi por mim publicado no Blog do BOLINA.
cristina torres
sentidos-de-coimbra.blogspot.com

2 comments:

rouxinol de Bernardim said...

Uma excelente pedrada no charco!

Oxalá haja sensibilidade (e vontade política) para dar exequibilidade a um projecto virado para o futuro e entroncando numa estrutura conducente à diminuição do impacto pernicioso do actual modus vivendi. As gerações futuras pedir-nos-ão responsabilidades pelos nossos erros!

Vereadores do PS na C.M. da Póvoa de Varzim said...

Cristina

O teu contributo para o desiderato do Projecto Bolina é excelente.

Grato

J.J.Silva Garcia
Coordenador do Projecto Bolina