Wednesday, June 13, 2007

MG - I

Manipulação Genética (MG): a compreensão dos benefícios e prejuízos, deste vasto e polémico tema, não é pacífico.
"Para saciar a fome mundial, seria necessário duplicar a actual produção de alimentos até 2025." Alguns especialistas advogam que este objectivo só é possível através da utilização de alimentos transgénicos, exibindo benefícios tanto para a saúde dos consumidores, como para a natureza, indo mais longe, apresentando vantagens, também a nível económico. Contudo, não é uma orientação consensual, assim: outros especialistas são categóricos nas suas afirmações defendendo, a inevitável, existência de malefícios para a saúde dos consumidores e para o meio-ambiente.

O conhecimento das características genéticas dos seres vivos tem permitido que certas situações, outrora irreparáveis, possam ser melhoradas e até totalmente solucionadas. Com o crescente desenvolvimento e aperfeiçoamento da tecnologia, surgiu a Engenharia Genética (EG).
A EG revolucionou a agricultura, multiplicou a capacidade de produção de alimentos, resistência a pragas, mais tempo de armazenamento sem alterar as características dos alimentos, melhorou a comercialização, tudo isto, a abaixo preço. A EG desempenha um papel cada vez mais importante nos domínios da agricultura, do sector agro-alimentar e da saúde. A produção de hormonas (insulina, hormona do crescimento,...), de vacinas, de certos factores de coagulação do sangue, a formação de espécies resistentes, são alguns exemplos.
Nos Organismos Genéticamente Manipulados (OGMs) ou Alimentos Transgénicos a estrutura genética, o ADN (ou DNA - designação em inglês -, abreviatura de Ácido Ribonucleico), foi modificado pelo homem através da EG, de modo a atribuir a esses seres uma característica não programada pela natureza. Por exemplo: a casca de determinada maçã, quando madura, é vermelha. Existem genes responsáveis por essa cor. Isolados e, transferidos para a banana, quando esta amadurecer não terá a cor amarela, mas sim vermelha. Esta banana será um OGM. Alimentos transgénicos são OGMs, possuem genes transferidos de outros organismos.
A MG de alimentos é hoje um processo irreversível!
Em 1990 não havia cultivo de soja transgénica, segundo dados do Greenpeace. Já em 1998, a área cultivada tinha superado os 28 milhões de hectares. Os primeiros alimentos transgénicos foram: soja, milho, algodão e banana. Entretanto, a banana, brócolos, café, cenoura, morango, abacaxi, tomate, abóbora, feijão, arroz e trigo são exemplos de alguns OGMs que hoje estão disponíveis.
Os OGMs são criados em Laboratório com a utilização de genes de espécies deferentes, com esta nova tecnologia, é possível, por exemplo, introduzir um gene humano num... porco. Ou, um gene de rato, de bactéria, de vírus ou de peixe em... arroz, soja, feijão, etc.
Será simples mexer com a Natureza?!

2 comments:

jmc said...

O tema e o artigos são muito interessantes.
Parece-me que vais dar continuidade ao artigo. Aguardo.
Beijinho e parabéns.
jmc

Anonymous said...

sentidos-de-coimbra.blogspot.com is very informative. The article is very professionally written. I enjoy reading sentidos-de-coimbra.blogspot.com every day.
instant loans
payday loans